Sem Terrinha escrevem carta contra a criminalização do MST e aos presos políticos no PR

Por Riquieli Capitani
Foto Wellington Lenon F. Lima

Durante o 12º Encontro dos Sem Terrinha, que aconteceu de 08 a 10 de novembro, em Curitiba (PR), as 700 crianças produziram uma carta de solidariedade e protesto à criminalização que o MST vem sofrendo, principalmente com a prisão de seis lideranças do Movimento no estado durante a ação truculenta da polícia, batizada de “Castra”.

A operação envolveu três estados, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, e teve como principal objetivo prender e criminalizar as lideranças dos Acampamentos Dom Tomás Balduíno e Herdeiros da Luta pela Terra, militantes assentados da região central do Paraná.

Veja carta a baixo.

Carta aos presos políticos

Em nome de todos os Sem Terrinhas presentes no 12º Encontro Estadual dos Sem Terrinha, com o lema “Educação, Terra e Dignidade: Pelo direito de Viver e Estudar no Campo”. Viemos por meio desta carta prestar nossa solidariedade e indignação frente a criminalização do MST.

Queremos dizer aos companheiros e companheiras perseguidos e presos, que não desistiremos um minuto se quer de lutar, frente as injustiças do governo golpista Michel Temer. Nós permaneceremos em luta, não desanimem, a caminhada é longa e árdua, mas não cessaremos.

E lutaremos, marcharemos sobre essa sociedade que nos marginaliza. Continuaremos organizados sobre as sombras de nossas gerações passadas, fazendo luz aos retrocessos da atual conjuntura brasileira. Somos Sem Terrinhas em apoio aos presos políticos de nosso movimento.

Não somos baderneiros, arruaceiros e criminosos, somos trabalhadores, lutadores por dignidade, justiça social e soberania.

Queremos a liberdade, não mais a morte!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.